sexta-feira, janeiro 23, 2009

Uma semana de Grand Slam

Está a chegar ao fim a primeira semana do primeiro Grand Slam da temporada. A minha primeira vez em Melbourne Park tem enchido as medidas. No primeiro dia vi o Federer, Roger para os amigos, e confesso que tive a mesma sensação quando vi o Pete Sampras nos masters de Lisboa em 2000. Os dois têm uma fLuidez de movimentos e calma aparente, que parece que jogam em câmara lenta. Em futebulês poderia dizer-se que são "falsos lentos" e que "abrem o livro", a verdade é que me impressionam mais do que Nadal ou o Murray.
Ontem assisti a um jogo muito interessante entre uma jovem espanhola (Carla Suarez Navarro) e Venus William. Carla depois de ter levado tratamento expresso no primeiro set, jogou descomplexada e ganhou o segundo set, com portentosas pancadas de esquerda a uma mão (essa especie em vias de extinção). O último set foi um clássico, Venus na frente 5-2 e a servir para fechar o encontro! Carla "remonta" e acaba por ganhar 7-5 merecidamente.
Hoje há um daqueles jogos que me podem deixar na Rod Laver arena atá de madrugada, ou que podem acabar em hora e meia. Um dos jogadores mais talentosos da actualidade mas com menos inteligência emocional (Safin) contra o Rei Federer. Vamos ver o que dá a montanha russa Safin!

1 Comentários:

Blogger daniel disse...

Vamos ver o que dá esse jogo. O Safin é capaz de tudo. Mas tenho medo que ele não consiga fazer grande coisa.

Concordo com essa questão da fluidez. Mas acho que há um factor que contribui muito para isso: tanto o Sampras como o Fed precisam de se deslocar menos porque apanham muito as bolas on the rise e antecipam muito bem.

Não sei se te idolatre ou se te bata por estares aí, pá. É a inveja a falar. Sim, porque eu estou a acompanhar no online scoreboard que actualiza mal, cheio de lag. Isto ao mesmo tempo que tento trabalhar (distrai-me ligeiramente mal tudo sob controle).

Abraço

23 de janeiro de 2009 às 10:45  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial